Seu perfume era naturalmente doce como o de baunilha. Típica americana de cabelos loiros e olhos azuis e também influenciada pela cultura e gastronomia italiana e brasileira, minha Nona cozinhava como ninguém. Desde criança adorava vê-la na cozinha com seu avental preparando o almoço de família que era um verdadeiro banquete. Em dezembro, ela sempre nos surpreendia. Sua casa ganhava cheiro de Natal com seus biscoitos de gengibre decorando a mesa da ceia (ginger bread é muito tradicional nos Estados Unidos).

Era mágico vê-la transformando a farinha, ovo, manteiga e açúcar em alimento. E é assim pra mim até hoje. Quando me tornei mãe e descobri a importância e o imenso prazer em alimentar (e preparar o alimento) despertou em mim uma vontade de produzir mais e curiosidade em fazer experiências, testar receitas. E foi assim que fui descobrindo minha paixão pela confeitaria. Aos poucos fui incorporando sabor ao design, minha outra paixão que herdei durante a faculdade de arquitetura. E assim é a vida, cheia de encontros e desencontros, erros e acertos, lembranças amargas e outras doces. Nesse espaço, compartilharei dicas, tendências e um pouco do que sei e aprendi sobre as coisas doces da vida.

Lila Risi