Despertar os cinco sentidos é o que promete a Arte da Pizza, pizzaria localizada dentro do Grande Hotel Campos do Jordão, que tem no cardápio 21 opções difíceis de escolher. O Senhora Mesa esteve lá e sentiu o calor do forno de onde saem as equilibradas e inusitadas fatias.
O ambiente oferece ao visitante uma leitura à parte da experiência que está por vir. Os dois fornos aquecidos com toras de eucalipto tratado possuem lugar de destaque no salão: bem em frente às mesas. A bancada onde as redondas são preparadas fica próxima ao público, que assiste de camarote todo o processo, desde a abertura da massa, até a finalização após a saída do forno. O aconchego do calor do forno, o barulho do tilintar das toras e a visão privilegiada para a mata preservada, devido as paredes de vidro, completam o visual.
A leitura do cardápio já desperta a curiosidade. Reinaugurada em junho, a pizzaria fez uma reestruturação, incluindo novas combinações e reformulando sucessos consagrados. Entre as novidades está a redonda com presunto Pata Negra, que leva ainda queijo gruyere. A Pepper Marmelatta instiga o paladar equilibrando em oito fatias queijo brie, geléia de pimenta e fios de azeite aromatizado com tangerina.
A Fuet Catalan reúne rodelas finas da consagrada linguiça de porco ibérico e queso manchego. A massa fina e crocante da pizzaria artesanal também recebe recheios como truta defumada, cebola confitada com calabresa artesanal, lâminas de berinjela, mussarela de cura e gotas demolho de tomate assado, entre tantas outras diversões ao paladar.
Com a reformulação, o restaurante inseriu cinco opções de massa, como a lasanha de parma com camembert, tomilho, finalizada após sair do forno com rúcula e presunto parma. Além das crostatas e bruschetas de entrada, o estrelado grana padano recebe mel trufado e farofa de pistache. A pizza é levada à mesa em pratos especiais, de cerâmica com tratamento de carbono, aquecidos no forno à lenha. A pizzaria também está desenvolvendo um cardápio especial com as opções de azeite.

Foto Divulgação

A massa fina e crocante da pizza tem o objetivo, segundo o gerente de alimentos e bebidas do hotel, Victor Hugo Costa, dar a opção para o visitante comer com as mãos. “Desde a percepção do ambiente que desperta o olhar, o aroma das pizzas, que acordam o olfato, o tato estimulado com o comer com as mãos, até a audição com o estalo da lenha no forno, são experiências únicas proporcionadas pela nossa casa”.
Qualquer escolha pode ser perfeitamente harmonizada com as mais de 400 garrafas da adega, estreante no salão. Os cerca de 90 rótulos passeiam por países como Brasil, Chile e Argentina, além das opções do velho mundo, tanto em tintos como brancos. “Os garçons receberam um treinamento especial para poderem trabalhar também como sommelier, oferecendo sempre a melhor sugestão de harmonização com o prato escolhido”, disse Costa.
A parte “melhor ainda do cardápio”, como definiu o gerente, fica por conta das opções de sobremesa, como a pizza doce Buoníssima, que leva doce de leite quente, gotas de chocolate belga branco, com lâminas de amêndoas torradas. A Choco Baby, que já existia, ganhou duas versões, com gotas de chocolate belga com morangos liofilizados ou castanha de caju. Já a Dolce Brasile equilibra banana caramelizada com canela, gotas de chocolate belga e açaí granulado. O destaque fica por conta do Peti Estrela, um petit gateau com queijo serra da estrela e calda de vinho do porto. O visitante ainda pode escolher três opções de sorvete feitos no próprio hotel, baunilha, morango e chocolate.
Depois de todo esse passeio gastronômico, o cliente pode fechar a experiência sensorial com a arte do café. “Tivemos um cuidado com essa parte do cardápio. A louça foi especialmente desenvolvida para a pizzaria. O café Nespresso é servido com quatro acompanhamentos diferentes, que mudam constantemente. As opções são sempre uma surpresa”, explicou o gerente.
Agora em julho, a pizzaria é aberta de quinta a domingo, a partir as 19h. O restaurante não trabalha com reservas. O preço das pizzas varia de R$ 59 a R$ 87 e a carta de vinhos tem rótulos mais acessíveis até os mais sofisticados como a garrafa de Ornellaia Bolgheri Doc, de R$ 1.261.

Foto Patrícia Guimarães