Abri a garrafa desse vinho hoje na hora do almoço. Do produtor Barista, o rótulo de tinto 100% Pinotage, 2010, foi a escolha da Dani Pavanelli para a segunda edição da Saga do Vinho. O vinho tem fama pela apresentação de notas de café. Mas, antes de ler as notas de degustação, pontuadas pelo enólogo Bertus Fourie, um dos mais reputados da África do Sul e que desenvolveu esse vinho resolvi degustar e anotas as minha impressões.

Barista Pinotage – África do Sul

Como sabem, ainda não possuo o paladar para vinhos com tanino proeminente, dominador. Eu simplesmente adorei esse vinho. A uva Pinotage com certeza vai entrar na minha lista de preferências e vou passar a buscar vinhos produzidos com ela. Este rótulo que eu degustei possui um aroma mais amadeirado, com final de boca que lembra ameixa. Achei ele bem equilibrado, corpo médio. Marcante, porém macio ao mesmo tempo. Lembra baunilha.

Daí, lá fui eu ler as notas de degustação do super enólogo. Acho que estou melhorando nesse quesito de apreciar vinhos. Segundo Bertus Fourie, o Barista Pinotage é “delicioso e suculento”. Também achei. Ele promove uma excelente salivação se você deixar ele passear pela boca e tem um final redondo, que te deixa querendo provar mais. Ele conta também que este vinho tem um caráter “hedonista, repleto de frutas maduras e um notável toque de café, chocolate e ameixas”. Acertei nas ameixas e o amadeirado depois provando de novo faz jus ao café.

O Barista Pinotage é elaborado com a casta tipicamente sul-africana Pinotage, vinificada e parcialmente fermentada em barricas de carvalho tostadas. Daí a ideia que tive de um toque amadeirado que eu encontrei no vinho.

A Dani, nossa sommelier parceira da Saga do Vinho, disse que chega a ser irônico afirmar que a África do Sul é conhecida como um dos países do Novo Mundo, porque ali a vinicultura, conta ela, “pode ser tudo, menos nova”. “Para se ter ideia, as primeiras vinhas foram plantadas no Cabo da Boa Esperança em 1655 pelo comandante Jan Van Riebeeck. Hoje, o país é o nono produtor de vinho e um dos grandes destaques do cenário vinícola. Produzem vinhos finos e equilibrados, com o sabor e a intensidade característica do Novo Mundo e o requinte e glamour europeu”.

A uva Pinotage é a cepa emblemática do país, criada através de um cruzamento de Pinot Noir com Cinsault. Daí, acredito eu, a facilidade em gostar do vinhos feito 100% com essa uva, até porque a Pinot Noir é a uva que tem mais agrada o paladar das pessoas, por ser mais descomplexada. Até por isso, muitos sommeliers não gostam dela, como se fosse uma uva muito simples para vinhos, arroz de festa, todo mundo gosta então não vou gostar, rsrsrs!

Os vinhedos do Barista Pinotage ficam na região de Paarl, cerca de 50 km de Cape Town. Essa região fica encostada no Rio Berg, ao pé da montanha de Paarl. A região está cercada por uma cadeia de montanhas e seus vinhedos ficam no centro deste vale, ou nas encostas das montanhas.

O que você achou dessa sugestão? Já provou esse vinho ou algum feito com a uva Pinotage? Ou produzido na África do Sul?

Deixe o seu comentário.

 

Barista Pinotage – África do Sul

 

Rota do Vinho África do Sul
Foto – Site Porto a Porto