Fast Berlin leva comida de rua alemã para a capital

O alemão Peter Werny é o anfitrião e nome à frente do novo Fast Berlin, que abriu suas portas oficialmente no dia 28 de maio, na Rua Mourato Coelho, 24. Nascido na Alemanha Oriental, o empresário vive há sete anos no Brasil – desde que se casou com uma jornalista brasileira -, onde plantou raízes no país também para colocar em prática o plano de ter seu próprio negócio. A paixão pela comida e as saudades da cozinha de sua terra natal o inspiraram a montar um restaurante especializado no prato mais famoso das ruas da capital alemã, o Currywurst – salsicha ao molho de curry acompanhada de batata frita.

Do sonho à realidade, foram muitas as etapas até se encontrar os sócios certos e um chef compatível com suas ideias para oferecer a “genuine German street food”, como diz a própria assinatura da logomarca. Além disso, eram necessários o espaço e a localização perfeita para se conseguir acrescentar mais um item da cultura alemã, o estímulo ao uso do transporte público ou da bicicleta. Assim, a poucos metros da estação Fradique Coutinho do Metrô, o Fast Berlin se instalou e montou um paraciclo à frente da fachada.

História brasileira com sotaque alemão

Com sorriso no rosto, português perfeito e um tanto quanto de sotaque alemão, Peter recebe pessoalmente cada cliente para explicar a proposta de seu Fast Berlin, em meio à atmosfera cool e alternativa com reproduções da arquitetura e decoração de Berlim.

Restaurante e bar, aberto no almoço e happy hour – até altas horas da noite aos finais de semana -, a casa traz para São Paulo os pratos que os alemães, especialmente os berlinenses, comem nas ruas e harmonizam com a bebida mais característica do país, as cervejas.

 

Fast Berlin abre as portas em São Paulo.

Fast Berlin abre as portas em São Paulo.

A comida e bebida alemã

Leo Gonçalves, do projeto Quero Ser Cozinheiro e que já assinou cardápios do Mocotó, Épice, Vito e de Roberta Sudbrack, foi o nome escolhido para a criação do menu gastronômico. Enxuto e de comida rápida, apresenta 12 pratos e duas sobremesas, todos servidos em talheres e pratos sustentáveis e descartáveis, personalizados especialmente para a marca. Fiel ao estilo das ruas alemãs, oferece o prato que deu origem à história da casa, o Currywurst de salsicha de vitela, de carne suína ou na versão vegetariana, de soja (R$ 26); o Frikadelle – almôndegas de carne bovina e suína com molho de páprica acompanhada de Kartoffelsalat, salada de batata com picles de pepino. A opção vegetariana do prato chega com almôndegas de lentilhas com cogumelos shitake e cenoura com molho de mostarda escura (R$ 29,00); e o sucesso absoluto das festas de rua na Alemanha, o Kartoffelpuffer – panquecas crocantes de batata com cebola e molho à sua escolha (R$ 16). Com algumas adaptações ao paladar brasileiro, o menu também traz o Schweinebrötchen, sanduíche de costela suína desfiada com molho de curry e cebola frita(R$ 24,00); e a Crazy Einsbein – coxinha de joelho de porco e cheam cheese (R$ 9), servida apenas às casuais sextas-feiras e sábados.

E como para quem pensa em alemão, não deixa de lembrar – e desejar – cervejas, o espaço oferece o chope HB, original da Oktoberfest de Munique no canecão (R$21 – 500ml) e o chope Erdinger, o mais famoso alemão de trigo (R$ 16 – 300ml e R$ 22 – 500ml),  além de 37 opções de cervejas engarrafadas ou latas da Alemanha, República Tcheca, Holanda e EUA.

O rigor na escolha de fornecedores é outro destaque para a experiência do cliente tornar-se ainda mais completa. Os alemães assinam a maioria dos itens que não são produzidos na casa, como os pães e o Apfelstrudel – torta caseira de maçã com passas brancas servida quente, acompanhada de sorvete de baunilha (R$ 15,00). Também é o caso do suco Kranz – de maçã, uva, maçã com uva e maça com limão, todos sem açúcar – (R$ 8 a 10) e dos sete rótulos de vinhos. Há o branco Pfaffmann Riesling feinherb, R$ 90 – 1L e R$ 21 a taça; o rosé Kloster Riesling Spätlese trocken, R$ 130 – 750 ml ou R$ 37 a taça; e o tinto Michel Spätburgunder trocken, R$ 140 – 750 ml ou R$ 40 a taça.

O melhor da comida de rua alemã agora na capital.

O melhor da comida de rua alemã agora na capital.

 

Clima de Berlim

O visual do Fast Berlin, assinado pelos sócios Tony Guedes e Marcio Lopes do escritório +55 Arquitetura, é inspirado na contemporaneidade e no “clima” de Berlim, a capital cultural da Europa e uma das mais cosmopolitas do mundo. É despretensiosa, mas tem estilo. É simples, mas cheia de charme. E traz principalmente à tona a questão de sua divisão: metade ocidental e metade oriental, com elementos que remetem a ambas.

O ambiente tem ar industrial, como as paredes de tijolinho, as chapas de aço na parede e o grande balcão do salão em concreto, que recebe clientes em banquetas pretas de ferro por todo seu entorno. A casa ainda é decorada com sofás coloridos e as ilustrações de Kalina Juzwiak (da kaju.ink) no papel de bandeja e nos aventais do staff. As bolachas de chope dos anos 50 trazidas da Alemanha para colorir as paredes do fundo e a bicicleta göricke pendurada na parede central acabam por levar os clientes um pouco à terra natal de seu criador.

 

Serviço – FAST BERLIN
Endereço: Rua Mourato Coelho, 24 – Pinheiros
Tel.: 11 3064 4652
Facebook: https://www.facebook.com/fastberlin
Instagram: @fastberlin
Horário e dias de funcionamento: Almoço – segundaa sexta, das 12h às 15h. Happy Hour – Terça e quarta, das 18h a 0h. Quinta a sábado das 18h às 03h
Capacidade: 50 pessoas sentadas
Formas de pagamento: Visa, Mastercard e Dinheiro
Não possui valet. Bike friendly point. Ao lado da estação de metrô Fradique.
LEI TAMBÉM

PRATOS DO BANANA VERDE EM SÃO PAULO PRA AQUECER
CONHEÇA O ESPAÇO ÁRABE COM O MELHOR DA CULINÁRIA TÍPICA EM SP
LA CUCINA PIEMONTESE EM SP OFERECE CURSOS DE GASTRONOMIA