As mais pedidas do mundo!
Por Tábata Corso 

Trigo, fermento e água. Estes são os ingredientes básicos que constituem um dos pratos mais pedidos no mundo: a pizza. Dados da Associação das Pizzarias Unidas apontam que o Brasil é o segundo mercado do mundo em consumo das redondas – em 2012 eram consumidas cerca de um milhão -; atrás somente dos EUA. De acordo com a associação há, pelo menos, 30 mil pizzarias em todo o Brasil e a expectativa é que o setor cresça mais 5% este ano. Entre os sabores mais tradicionais e adaptados ao paladar brasileiro estão principalmente a imbatível muçarela, entre outros populares, tais como: frango com requeijão, calabresa, portuguesa e marguerita.  Mas não é só dos sabores comuns que vivem as pizzarias e casas gastronômicas brasileiras. Com paladares cada vez mais exigentes e ousados os sabores vegetarianos e as combinações diferenciadas ganham espaço no cardápio. No Badebec Campinas, por exemplo, dá pra pedir grandes ou médias de alcachofra condimentada com molho de tomates frescos e muçarela. Outros sabores para além do convencional – principalmente para quem não consome carnes – são a pizza de abobrinha com parmesão e borda de gergelim e a pizza de tomates-cereja com muçarela de búfala e molho pesto. Entre as mais pedidas no estabelecimento está a homônima à marca, coberta com muçarela de búfala, presunto Parma e tomates-cereja; e para os veganos, o recheio caprichado com a combinação de rúcula, tomates e palmitos agrada em cheio.

Mão na massa, massa no forno!

De massa grossa ou fininha e crocante o importante é consumir uma boa pizza com o ponto ideal de maciez. E é através da sova que a delícia torna-se capaz de soltar-se dos dedos facilmente e ficar pronta para ser modelada, recheada e assada. No Badebec o processo tradicional do forno a lenha mantém o sabor sem igual e temperaturas adequadas para que massa e recheios consigam fundir sabores e atribuir texturas desejadas. É curioso saber que a madeira do forno a lenha, queimada em combustão, também acorda aromas que tomam a pizza por completo e atribui a impressão costumeira de que esteja levemente “defumada”. A intensidade do fogo a lenha também é mais forte e estável – acima de 500 graus – enquanto o forno caseiro chega próximo aos 300. Vale lembrar que quando assadas em pedras, são as peças refratárias porosas capazes de armazenar o calor por mais horas e mantê-las sempre quentinhas.

Curioso…
Entre egípcios, gregos e italianos… os registros das primeiras combinações da massa feita a base de farinha e água teria surgido no Egito e Grécia, babilônios e hebreus também utilizariam a mistura para assar o conhecido pão de Abraão, chamado  piscea. No sul da Itália a pizza alimentava boa parte humilde da população, que consumia o disco de massa assado com ingredientes simples como toucinho, peixes fritos e queijos.