Chef mostra trabalho envolvendo Políticas Públicas e Gastronomia no Semana Mesa Sp

Jussara Dutra é chef no Palácio Piratini, sede do governo do estado do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, e encabeçou a criação do Grupo de Trabalho em Gastronomia Regional com o objetivo de valorizar as características particulares da gastronomia. A chef contou com detalhes como foi a criação e desenvolvimento desse projeto em uma palestra no 1º dia do Semana Mesa Sp, maior congresso de gastronomia da América Latina, que começou ontem (dia 3 de novembro), e é realizado pela Revista Prazeres da Mesa e Senac.

A cozinha do Palácio do Piratini existe há 90 anos e sempre atendeu o Governador do estado e seus familiares. Quando a chef começou a trabalhar na sede, a cozinha passou a atender eventos e deixou de ser uma cozinha particular do governador. “Primeiro montamos uma horta, que existe há 4 anos e é aberta a visitas, buscando a preservação do trabalho de preservação patrimonial”, disse. Ao mesmo tempo a chef começou um diálogo com as escolas de gastronomia do estado para os cursos tratarem a comida típica como cultura.

Em 2013 Jussara propôs ao governador a criação de um decreto para iniciar uma pesquisa sobre a cultura alimentar do Rio Grande do Sul e seus produtos. “Começamos com 25 estabelecimentos da área de alimentos e bebidas e hoje contamos com 65. Hoje temos um grande patrimônio no rio Grande do Sul sobre sua tradição gastronômica”, contou.

Ao todo foram visitadas 94 cidades e até o fim deste ano outros 82 municípios deverão ser visitados. “Optamos por ser uma pesquisa ampla e sem recortes”, afirmou Jussara. O leque da pesquisa também abrange culturas singulares como a pesquisa feita sobre a culinária dos povos de terreiro, de religiões como Umbanda e Candomblé. Um dos braços da pesquisa também foi a fundo na região de São Lourenço do Sul, que recebeu imigrantes vindos da Pomerânia. “Todo o nosso trabalho de resgate também buscou a aproximação dos chefs e cozinheiros da cultura gastronômica tradicional da nossa região. Nosso tripé se baseia em importância da pesquisa, importância dos produtores e conexão entre chefs e sua tradição gastronômica”.

Um bom exemplo de como as políticas públicas e a gastronomia podem trabalhar juntas em benefício de todos.