Confessa. Você alguma vez já recorreu ao gostosinho macarrão instantâneo. Ele faz parte principalmente dos jovens que moram fora, em repúblicas, onde a maioria não sabe cozinhar e também não tem tempo. Eu fiquei surpresa quando soube que amanhã, dia 25 de agosto, será lançado o livro Meu Miojo – Receitas e Histórias. A surpresa foi porque o macarrão é usado por chefs bacanudos no preparo de pratos sofisticados. Resultado: o miojo ganhou status gourmet.

Participam do livro o chef Emmanuel Bassoleil, do restaurante Skye, Erick Jacquin, do La Brasserie, Morena Leite, do Capim Santo, Carla Pernambuco, do Carlota, Flávia Maiotto, da Mercearia do Conde, Luiza Hoffmann, do Figo Gastronomia, Tatiana Szeles, Joca Pontes do Ponte Nova, Renato Carioni, do Cosi, Pier Paolo Picchi, da Trattoria Picchi, Edinho Engel, do Amado, Mônica Rangel, do Gosto com Gosto, Carlos Ribeiro, do Na Cozinha e Felippe Sica.

A dica é descartar o saquinho de tempero que vem junto na embalagem e usar a criatividade para inventar outros acompanhamentos. Quando fui morar sozinha pela primeira vez, eu usava muito o macarrão instantâneo, pronto em três minutinhos, com atum, molho de tomate com salsicha, e até para uma salada rápida de macarrão, gelada, com atum, tomate cereja e manjericão.

O macarrão instantâneo foi criado em 1958, no Japão, por Momofuku Ando. A ideia era criar um prato oriental que ficasse pronto rápido e foi motivada pelas longas filas que se formavam para comprar alimentos após a Segunda Guerra Mundial. Mas no Brasil o lámen chegou só em 1965.

No livro, o miojo é preparado com ingredientes sofisticados e pode perfeitamente servir como prato principal de um jantar. O macarrão instantâneo faz parte da adolescência de muitas pessoas e cada uma tem a forma preferida de preparar o prato. Em uma pesquisa rápida descobri combinações diferentes, como a que leva caldo de feijão. Vou revelar. Eu também gostava muito do miojo com maionese e banana. Parece um crime à boa gastronomia? Que nada, eu ainda colocava ketchup de vez em quando, rs!

A tiragem é limitada,  apenas 4.000 exemplares a um preço sugerido de R$ 39,90. O lançamento será feito simultaneamente em Recife, São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Para celebrar a data, também será realizado a 16 edição do Festival Lámen, em São Paulo, no domingo, dia 26. A comemoração será na Associação Hokkaido de Cultura e Assistência, na Vila Mariana, das 11h às 16h, com entrada gratuita.

Foto Divulgação

Esta receita é da chef Luiza Hoffmann com o ingrediente que dá nome ao seu restaurante (Figo Gastronomia)

Miojo Figo

Miojo Figo (porção individual)
– 1 pacote de lámen (não usar o tempero)
– 5 ml de azeite composto (1 colher)
– 10 g cebola brunoise (1 colher)
– 10 ml de vinho branco seco (2 colheres)
– 1 figo (30 g)
– 60 g mascarpone (3 colheres sopa)
– 5 g de parma em fatias finas (4 fatias)
– 1 fatia de parma desidratado
– 5 g pecan
– salsa
– pimenta do reino preta
– Sal marinho
– Brotos

MODO DE PREPARO
Corte fatias finas de presunto parma e leve ao forno baixo até que fique crocante. Também no forno, torre o pecan em temperatura baixa por aproximadamente 2 minutos.

Cozinhe o lámen ao dente. Em um frigideira em fogo médio, adicione o azeite composto, a cebola, o vinho branco, o figo cortado em pedaços pequenos e o mascarpone. Tempere com sal a gosto, pimenta e salsinha. Quando retirar do fogo, adicione o presunto parma, decore com pecan, os brotos e o crocante de parma.