Esquinica em Campinas cria almoços super saudáveis e orgânicos. Afinal, não é todo dia que podemos almoçar risoto e jantar lasanha! Até nós da Senhora Mesa nos alimentamos de forma mais equilibrada durante a semana. Aliás, equilíbrio é a palavra certa. Em Campinas a boa notícia chega aos adeptos da alimentação balanceada. O premiado espaço gastronômico, Esquinica, idealizou almoços especiais que começaram a serem servidos desde o dia 05 de maio, das 11h30 às 15h, com um bufê diferenciado por alimentos orgânicos e naturais.

No menu da casa estarão saladas variadas, arroz integral biodinâmico Volkmann, grãos diversos como feijão azuki, lentilha, grão de bico, além de tortas, verduras refogadas e grelhados de frango (orgânico) e peixes  que poderão ser pedidos a parte. A idealização das receitas, deste novo menu, é assinada pela equipe gourmet do Grupo Vitória Hotéis, chef Jonathan Wehrung  com a gerência de Cristina Róseo. Vale ressaltar que, para os finais de tarde amistosos e às noites afora o Esquinica manterá seu cardápio premiado de tapas e receitas ibéricas, sob o comando do chef Lucas Batista, premiado pela Veja Comer e Beber, em 2013, como o melhor chef de Campinas.

Foto Arian Carneiro de Mendonça. Todos os direitos reservados.

Foto Arian Carneiro de Mendonça. Todos os direitos reservados.

Você sabia?!

Entre os vários benefícios em consumir alimentos livres de agrotóxicos e insumos artificiais está o auxílio à melhor qualidade de vida e ao fortalecimento imunológico. Aliás, a manutenção dos processos produtivos sustentáveis também colabora com o planeta, tornando o consumo mais consciente e ecológico, tanto para quem planta, quanto para quem consome. O sabor dos orgânicos é outro grande diferencial (mais enfático), além de terem maior durabilidade. Dados do Ministério do Desenvolvimento Agrário apontam que produção de alimentos orgânicos no Brasil cresceu mais de 20% em 2013, em comparação ao ano anterior. Estima-se, de acordo com as informações do Ministério, que haja cerca de 7mil produtores e mais de 10 mil unidades de produção orgânica no país; o Brasil ainda compra orgânicos de outras duas mil unidades de produção estrangeiras, instaladas na América do Norte, América do Sul, Europa, Ásia e Oceania.