Você está em:
A Saga do Vinho – Primitivo di Manduria

A Saga do Vinho – Primitivo di Manduria

Compartilhe
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Versão para impressão

Conteúdo da publicação

A Saga do Vinho - Primitivo di Manduria 1
Vinhos de Manduria predominam uva Primitivo

A escolha dessa uva e dessa região para dar início a essa Saga do Vinho não foi por acaso. Estava eu, hospitalizada no Albert Einstein em São Paulo, quando o infectologista que me atendeu disse para eu tomar meus medicamentos com um gole de vinho do porto. Segundo ele, a maioria dos remédios não possui restrição. A combinação álcool e remédios não se aplica muito, é lenda urbana. Mas ele disse, um gole, não uma taça cheia. Eu tive alta em uma segunda-feira e ele contou sobre os vinhos que tomara no final de semana.

Ele sugeriu que eu experimentasse um vinho feito com a uva Primitivo, especialmente um que fosse da região de Manduria, que fica ao sul de Puglia, no “calcanhar da bota”, na Itália. Segundo a Daniele Pavanelli, nossa consultora em vinhos, foi lá que essa uva ganhou destaque, “se tornando a queridinha de muitos enófilos”. Vinhos Primitivos di Manduria são, diz a Dani, geralmente tintos escuros, encorpados, concentrados e com toques generosos de frutas vermelhas.

Eu confesso que antes do médico comentar sobre este vinho, nem sabia que existia a uva Primitivo. O vinho que eu degustei foi o Luccarelli Ampelo Primitivo di Manduria (repassado pela importadora Casa Flora). Esse vinho tem um custo médio de R$ 60. Para o sommelier da responsável por trazer esse vinho para o Brasil, esse rótulo que eu provei tem um “rubi intenso, aroma complexo, frutado, geléia de cereja e amora”. Quando você estiver provando o vinho, tente sentir esses sabores. Ele contou ainda que o paladar pode perceber notas de tabaco e especiarias.

Um ponto que me chamou a atenção, é que é característica dos Primitivos de Manduria serem mais encorpados, densos e rico em taninos. Para quem não conhece, tanino é aquela sensação seca que trava a garganta. Mas, especialmente nesse vinho, não senti tanta proeminência quanto pensei que fosse. Antes que eu me esqueça, deixe ele na geladeira antes de tomar, ele deve ser consumido a uma temperatura de 15 graus, mais ou menos. Vinho em temperatura ambiente no Brasil, no máximo no Sul durante o inverno heim. Somo um país caliente para ousar fazer isso.

Para conseguir notar todos esses sabores, antes de provar o vinho, gire a taça delicadamente para que em contato com o ar, o vinho consiga liberar todo o seu aroma. Sinta esse aroma e aí sim tome um gole. Não engula rapidamente, deixe o vinho passear pela sua boca. Para quem ainda não começou a beber vinhos para sentir algo além do que a euforia do teor alcoólico possa provocar, pode ser uma atuação divertida. Se você parar para prestar atenção, vai conseguir sentir esses sabores.

A sugestão é que esse vinho seja harmonizado com carne vermelha e pratos de tempero forte. Vocês viram que ele foi taxado de complexo, portanto tenha paciência ao prová-lo, para conseguir sentir todos os seus sabores. Ele é produzido pela cantina Feudi di San Marzano em Puglia e é o mais novo projeto de Valentino Sciotti, que achou essa cantina por acaso e notou seu potencial. Não consegui muitas informações sobre a vinícola produtora.

Procure por vinhos feitos da uva Primitivo, saboreie, teste, quem sabe essa uva é a sua?!!

A Saga do Vinho - Primitivo di Manduria 2

 

 

 

 

Palavras-chaves

Gostou? Conta pra gente o que achou!

Veja mais notícias semelhantes

Ospreferidos na mesa

Receitas e promoções sempre em primeira mão

Se você quer ser a primeira a receber as novidades da Senhora Mesa e não perder nenhuma das promoções que iremos lançar, preencha seu nome e e-mail e ganhe já o e-book Cozinha fácil!

Junte-se a mais de 50.000 cozinheiros e cozinheiras do brasil e do mundo

Receba sempre em primeira mão as novidades do nosso site e comece a fazer sucesso na cozinha!